Mundo Cão

Foram encontrados 40 resultados na busca por "assassinato"
Página 1 de 4 página(s) / Mostrando de 1-10 resultado(s)

   

Homem arranca orgão genital de catador, frita o coração dele e come

Com requintes de crueldade, um crime abalou a pequena praia de Quintão, no Litoral Norte gaúcho. João Tressoldi, de 60 anos, foi encontrado morto dentro de uma casa, na Rua Uruguaiana, no centro do balneário, na manhã da quinta-feira. Morto a facadas, o catador teve o órgão genital cortado e o coração arrancado. O corpo foi achado por volta das 8h30min da quinta-feira passada. Érico Hermes Luis, de 38 anos, confessou o homicídio após ser preso ao tentar fugir em direção a Mostardas, ao lado de Palmares do Sul.
 
"Ele estava de bicicleta com a companheira e deu detalhes do crime. Na delegacia, falou que havia comido o orgão genital da vítima e comido frito", afirma o delegado Gustavo Brentano, titular da 1ª Delegacia de Osório.
 
Conforme depoimento do acusado e de sua companheira, a motivação para o assassinato foi vingança. Luís contou que os três estavam assistindo uma partida de futebol na TV e bebendo. Quando as bebidas acabaram, Luís teria saído para buscar mais. Nesse intervalo de tempo, Tressoli teria tentado abusar sexualmente da mulher. Quando voltou, Luís afirma ter flagrado a tentativa de estupro e entrou em discussão com a vítima. Ao todo, foram identificadas na vítima oito perfurações e quatro cortes no pescoço, além de pancadas na cabeça.
 
Acusado estaria foragido
O delegado informou, ainda, que Érico Luís tem um vasto histórico de crimes. Nascido em Mangueirinha, no Paraná, ele matou um homem a pauladas na aldeia paranaense de Palmas, em 2010. Anteriormente, esfaqueou dois homens e fugiu de uma cadeia local. Em 2012, outro episódio marcante, também no Paraná: foi preso após roubar uma fazenda e, ao conseguir forçar uma capotagem com uma viatura que o levava de uma cidade a outra, escapou a pé pela estrada. Sua prisão preventiva havia sido solicitada desde 28 de dezembro do ano passado. Como era procurado, acabou fugindo para a pacata praia de Quintão, onde estava foragido.Ele iniciou cedo no crime. Já cometeu outro homicídio em Mato Grosso e cumpriu cerca de 15 anos de prisão no Paraná.
 
Bretano diz que, até no máximo quarta-feira, sai o pedido de prisão preventiva de Luís, que foi encaminhado para o presídio de Osório (RS).

A Crítica / Terra

Palavras-chave: violencia , coração

hora do post 05h49min » Comentar » Comentários (0)

Pai é linchado após assassinar o filho de 5 anos, tentar matar a mulher e outros dois filhos

Um homem de 55 anos foi linchado após ter assassinado o próprio filho de cinco anos. Os crimes ocorreram no bairro São José, em Esteio, região metropolitana de Porto Alegre, na noite de sexta-feira.

Segundo a Polícia Civil, após uma discussão familiar, Valnei Borges assassinou o filho com uma pedra de concreto. Em seguida, tentou matar a mulher e outros dois filhos, além de uma vizinha que também estava na casa.

Na sequência, dois homens que moram nas proximidades entraram na residência e mataram a pauladas o agressos para vingar o assassinato da criança. Os feridos foram levados ao Hospital São Camilo do município.

Segundo o delegado Leonel Baldasso, os dois homens acusados de matar o pai do menino foram presos e conduzidos à Delegacia de Pronto Atendimento, em Canoas. A dupla foi autuada em flagrante e encaminhada ao Presídio Central. O delegado informou que investiga agora a motivação da morte da criança e porque Borges ainda morava com a mulher, já que ela havia solicitado medida protetiva em razão de violência doméstica, ocorrida em junho deste ano.

Terra

Duas idosas acusadas de bruxaria são torturadas e degoladas na frente da polícia

Duas idosas acusadas de bruxaria são torturadas e degoladas na frente da polícia theaustralian.com.au

Duas idosas morreram degoladas em Papua-Nova Guiné após sofrerem torturas por três dias por parte de seus vizinhos, que as acusavam de praticar atos de bruxaria. O caso aconteceu na semana passada, em Lopele, na região autônoma de Bougainville. De acordo a imprensa local, a polícia não conseguiu "salvar" as idosas, pois não conseguiu dissuadir a multidão, que tinha armas de fogo, facas e machados.

O chefe da polícia de Bougainville, o inspetor Herman Birengka, confirmou que não puderam fazer nada e qualificou as mortes como um ato "bárbaro e absurdo". Segundo o inspetor, a polícia tentou negociar a libertação das duas idosas, sequestradas na terça-feira passada por parentes de um professor que havia morrido semanas antes.

Os agentes tiveram que desistir por causa das ameaças da multidão, que culpava pela morte do professor atos de bruxaria das duas mulhere. Elas foram torturadas com facas e machados durante três dias, antes de serem decapitadas na frente dos agentes.

Estas mortes se acrescentam às de outras seis mulheres acusadas de bruxaria que, durante a Semana Santa, tiveram as mãos atadas, foram despidas na frente de uma multidão e torturadas com ferro quente, antes de serem queimadas vivas.

A Anistia Internacional exigiu do governo do país ações preventivas e a punição à caça de bruxas no país, que, segundo a organização, é utilizada frequentemente para justificar atos de violência contra as mulheres.

Segundo a Anistia, somente em 2008 houve mais de 50 mortes de pessoas supostamente envolvidas com bruxaria, embora as autoridades locais acreditem que muitos outros assassinatos possam não ter sido denunciados.

hojeemdia.com.br

Em ataque de fúria, advogado mata seis pessoas em escritório

Em Moscou, câmeras de segurança registraram o momento em que o advogado Dimitry Vinogradov entra em uma sala com duas espingardas semi automáticas. O jovem matou a tiros quatro mulheres e dois homens que estavam sentados em suas mesas de trabalho.

Logo depois do crime, Vinogradov se entregou aos seguranças. Antes de cometer os assassinatos, ele deixou uma mensagem em seu Facebook revelando o ódio que sentia pelas pessoas, após o rompimento que teve com sua namorada.

Casal mata filha de 16 anos com ácido para \"defender a honra\"

Um casal muçulmano confessou à polícia que matou a filha de 16 anos ao despejar ácido em seu rosto e corpo, após pegá-la conversando com um garoto. O assassinato aconteceu na pequena cidade de Kotli, na região da Caxemira administrada pelo Paquistão.

De acordo com o depoimento prestado às autoridades, o casal cometeu o crime para defender a honra da família.

Infelizmente esse tipo de relato não é incomum nessa região. Segundo a Comissão para Direitos Humanos no Paquistão, 943 mulheres foram mortas em situações semelhantes em 2011. Em 2010, foram 843 vítimas.

Ativistas afirmam que o número atual é muito maior, já que muitos casos não são divulgados.

O caso teria sido denunciado pela irmã mais velha da vítima. "Houve queimadura de terceiro grau em seu couro cabeludo, rosto, olhos, nariz, os dois braços e parte das pernas. Até o sua caixa craniana ficou exposta", disse Mohammad Jahangir, médico do hospital da vila, acrescentando que a mãe inicialmente contou que a filha tentou cometer suicídio. O casal permanece preso.

Em uma entrevista à rede BBC, o chefe de polícia da cidade, Raja Tahir Ayub, contou que o pai suspeitou da conduta da filha, levou-a para dentro de casa e despejou ácido em seu rosto e depois no resto do corpo com a ajuda de sua esposa.

Em março, o governo do Paquistão havia aprovado uma lei que elevava a senteça para casos de ataques com ácido para prisão perpétua.

Criança de 4 anos é estuprada e morta por estrangulamento

Um crime bárbaro chocou os moradores do bairro da Mangueira, na Zona Oeste do Recife. Uma menina de apenas 4 anos foi encontrada morta por populares, na manhã desta segunda-feira (17), enrolada em um lençol, em um beco na 1° Travessa Tenente Miguel. A criança, que segundo a polícia foi morta por estrangulamento, tinha uma mordida no rosto, estava sem calcinha e apresentava sinais de estupro.

A polícia prendeu um homem idoso suspeito de ter cometido o crime. Daniel Pereira foi preso acusado pela população de ter matado a menina. Os moradores chegaram a danificar o carro onde estava o idoso, que foi levado ao DHPP mas foi liberado em seguida, pois o delegado descartou o envolvimento dele no assassinato.

Um outro homem foi preso depois, de nome não divulgado. Agentes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) acreditam que a menina pode ter sido morta e estuprada em outro lugar, já que não havia muito sangue no local.

Segundo informações dos familiares, a garota, que morava com a tia e avó, estava desaparecida desde a noite do domingo (16). A avó chegou a procurar pela menina, mas, por acreditar que ela pudesse estar na casa de outra pessoa, foi dormir tranquilamente. Na manhã desta segunda, o marido da avó, ao sair de casa, percebeu a agitação na área e foi olhar o que tinha acontecido. Ao ver o corpo da criança, chamou a avó, que reconheceu o corpo.

De acordo com a polícia, a mãe da vítima mora perto da menina e é viciada em drogas. Após ser informada do ocorrido, ela foi ao local. Desesperada, disse saber quem tinha cometido o crime e que a motivação foi a dívida que ela tinha com traficantes da localidade, mas não informou, entretanto, o nome da pessoa que pode ter cometido o assassinato.

O caso será investigado pelo delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), João Brito. Apesar da "confissão" da mãe da garota, ele afirmou que ainda é cedo para ligar o crime à dívida que ela tem com traficantes. O corpo da menina foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML).

Fonte: jornal do comércio

Palavras-chave: violencia , abuso , estupro

hora do post 01h27min » Comentar » Comentários (0)

Mãe suspeita de matar filha de 14 anos com ajuda da atual companheira e do ex-marido

Mãe suspeita de matar filha de 14 anos com ajuda da atual companheira e do ex-marido Foto: Reprodução/Globo

O corpo de uma adolescente de 14 anos, assassinada pela mãe em Praia Grande, no litoral de São Paulo, foi encontrado às margens da Rodovia Anchieta, na altura de São Bernardo do Campo, no dia 15 de julho. A polícia só divulgou o caso nesta terça-feira (7). Além da mãe, o ex-marido e a atual companheira da mãe da jovem são suspeitos de participar do crime. Segundo a polícia, a menina era usada para transportar drogas, e depois de perder uma quantia de entorpecentes, foi assassinada.

Ana Luiza Ferreira, a mãe da adolescente, foi presa e confessou ter matado a filha no último dia 13. O corpo da jovem foi encontrado às margens da rodovia por um caminhoneiro dois dias depois do crime. Ana Beatriz foi encontrada com várias fraturas no rosto e marcas no pescoço. Carlos José Bento de Souza, ex-padrasto da jovem, e Elizabeth Fernandes dos Santos, que vivia com a mãe da menina, também são suspeitos de participarem do crime e tiveram a prisão decretada. O assassinato aconteceu em uma casa no Jardim Anhanguera.

O crime foi comprovado mas os dois suspeitos continuam foragidos, deixando dúvidas sobre o que motivou a morte da menina. Segundo a polícia, o ex-padrasto da jovem já cumpriu pena por tráfico de drogas. “A versão que nós apuramos é de que ele usava essa adolescente para que ela levasse drogas a outros pontos de vendas desse entorpecente. Um dia ela perdeu uma quantidade de droga, voltou para casa, e passou a sofrer represálias do traficante, que é o ex-padrasto dela, e da mãe. Eles diziam que isso envolvia muito dinheiro e que eles tinham que dar conta. Até que eles decidiram se desfazer da menina como compensação pela perda da droga. Foi aí que entrou a Beth, esposa da mãe, a mãe, e Carlos”, diz o delegado Luiz Evandro Medeiros.

O corpo da jovem foi encontrado com o uniforme da escola onde estudava em Praia Grande, o que ajudou a polícia a esclarecer o caso. A autópsia contatou que a adolescente foi morta por asfixia. Segundo informações da polícia, a mãe e a companheira estavam na residência no momento do assassinato. Quando o ex-padrasto chegou em casa a menina já estava morta. “O ex-padrasto ajudou a esconder o cadáver, e no dia seguinte, foram até a delegacia para registrar um boletim de desaparecimento como se fossem inocentes”, explica o delegado.

Quando o corpo foi encontrado, os três já haviam abandonado suas casas e vendido o carro usado no crime. Dias depois, a polícia localizou o veículo e um teste feito com um reagente químico, conhecido como luminol, identificou marcas de sangue no porta malas e no pneu do veículo. A mãe alegou outros motivos para o crime. "A mãe apresenta uma versão que realmente estavam as três mulheres. Ela, a nova esposa, e a filha em casa. Iniciou-se uma discussão, da relação das três, e nervosa a Beth (esposa da mãe) teria ido para cima da jovem e espancado ela. A mãe diz que tentou apartar”, completa Medeiros.

Quem tiver qualquer informação sobre os foragidos pode ligar para (13) 3473-4959.

Sem dinheiro para pagar corrida, menor de 15 anos assassina taxista

Um menor de 15 anos foi apreendido pela Polícia Militar, em Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá), acusado pelo assassinato do taxista Gilson Pereira da Costa (29). O crime ocorreu na madrugada desta quinta-feira (26), no bairro Vila Olinda, na região do Distrito Industrial.

O jovem foi detido na Avenida Arapongas e, na residência da mãe dele, os policiais encontraram um revólver calibre 38.

Segundo a PM, o menor confessou que estava em uma casa noturna, no centro da cidade e chamou o taxista para fazer a corrida até o local onde mora.

Ao chegar ao bairro, constatou que não tinha dinheiro para pagar pelo serviço, então, resolveu matar o taxista com dois tiros na cabeça.

A PM informou também que o menor tem várias passagens pela Polícia.

Aos 13 anos, ele cometeu o primeiro homicídio; há cerca de 40 dias, o adolescente estava envolvido com um traficante e foi apreendido com arma e entorpecente.

E, na terça-feira (24), foi novamente abordado pela PM com uma motocicleta roubada.

Testemunhas disseram à Polícia que o adolescente estava na companhia da namorada, na hora do crime. No entanto, o rapaz afirmou que estava sozinho no veículo.

Com informações do site Primeira Hora

Fonte: Mídia News

Palavras-chave: violência , taxista

hora do post 07h41min » Comentar » Comentários (0)

Mãe teria estrangulado os filhos para se vingar do marido

Mãe teria estrangulado os filhos para se vingar do marido Água Bôa News

A mãe das duas crianças mortas estranguladas nesta quarta-feira (04), Lucilei Souza dos Santos, 30, está presa como a principal suspeita do crime. Ela teria enforcado os filhos Carlos Antônio Gomes da Silva, 5, e Carlos Augusto Gomes da Silva, 2, que estavam em casa, na rua 11, em Água Boa (730 km de Cuiabá), conforme informou o delegado Antônio Moura, por telefone, ao Olhar Direto.

Lucilei foi encontrada caída em casa após o crime e alegou que foi agredida por um homem com um pedaço de pau. Todavia, os peritos não constataram a lesão e sim um arranhão no rosto que a polícia acredita que tenha sido provocado por uma das crianças na hora do estrangulamento.

Moura disse que um dos motivos do crime pode ter sido vingança da mãe contra o esposo em virtude de uma possível separação. A polícia apurou que o casal estava em pé de guerra e que na noite anterior ao crime houve um briga muito grande entre eles.

O pai das crianças, Roberto Carlos Gomes da Silva, 33, conta que saiu de casa para trabalhar em um frigorífico por volta das 04h30 da manhã e deixou as crianças com a mãe na casa. Por volta das 08h, ele foi informado sobre a tragédia. Ele também confirmou as brigas com a esposa mencionadas pela polícia.

Vizinhos relataram também que a suspeita agia com agressividade com as crianças. A cidade de Água Boa está chocada com o crime. Por medida de segurança, o delegado pediu a transferência da suspeita para o Presídio Major Zuzir temendo alguma revolta popular.

Esse não é o primeiro assassinato praticado por uma mãe contra filhos no Araguaia. Em fevereiro, a funcionária pública Risya Nara Rodrigues Campos Luz foi condenada a 28 anos de detenção por ter envenenado os três filhos menores, sendo que um de 6 anos morreu.

O crime aconteceu em Cocalinho, em 2010, e a mãe colocou chumbinho (veneno para matar rato) no xarope e deu para as crianças beber com apoio do namorado, Márcio Leite Teodoro, condenado a 17 anos de reclusão.

Homem não aceita a separação, mata os três filhos, a mulher e depois se suicida

Um homem de 44 anos matou os três filhos e a mulher e depois se suicidou na noite deste domingo, no Setor Real Conquista, em Goiânia.

O motivo do crime seria a recusa do marido em aceitar a separação da mulher, que já completava 3 meses.

Uma amiga da família disse que o casal não costumava brigar e que não tem conhecimento de qualquer violência doméstica.

Ainda segundo a amiga, a mulher decidiu se separar depois de 19 anos de casamento porque o marido era muito mulherengo.

O homem teria começado a ameaçar a mulher e toda a família nas semanas anteriores aos assassinatos. 

Palavras-chave: violencia

hora do post 02h31min » Comentar » Comentários (0)

Publicidade